Professora da Unitins cria metodologia para ensino fundamental e médio

Metodologia 4 Tempos foi desenvolvida para o momento de isolamento, devido à Covid-19, mas pode ser aplicada em outras circunstâncias.

0
90

A diretoria de Desenvolvimento e Pesquisa Institucional da Unitins, professora doutora Arlenes Delabary Spada, juntamente com uma equipe de uma rede particular de ensino fundamental e médio, desenvolveu uma metodologia que está sendo aplicada em tempos de pandemia, devido à Covid-19.

 

A Metodologia 4 tempos, como o próprio nome sugere, é aplicada em quatro estágios. O 1º tempo tem como pano de fundo a Sala de Aula Invertida, sendo também chamado de Pré-Aula. Nesse estágio o professor planeja e prepara os materiais que serão disponibilizados (textos bases, textos complementares, links e vídeos) sobre o tema a ser estudado e elabora um formulário com questões relacionadas ao tema. O formulário é encaminhado ao aluno até 48 horas antes da aula, respondido e devolvido ao professor em até 24 horas antes da aula remota.

 

O 2º tempo, que tem como base o Ensino Remoto, é chamado de Aula, possibilitando ao professor ministrar a aula “sob medida” para a turma, focando no que foi revelado como erro ou não compreensão pelo formulário respondido.

 

O 3º tempo, por sua vez, busca privilegiar as competências socioemocionais dos estudantes, levando-os a argumentar sobre o que estudaram e compreenderam na aula remota. Denomina-se Pós-Aula e traz consigo os elementos da Aprendizagem Baseada em Equipes. Nesse estágio as equipes são formadas pelo professor em acordo com as habilidades observadas, sendo composta por um líder que busca, ao longo do desenvolvimento do formulário, proporcionar a participação de todos os componentes.

 

Também chamado de Fechamento, o 4º tempo é o momento da aula remota e sob medida, baseada nas questões que os estudantes respondem, discussões realizadas para garantir a compreensão do tema e a construção/ incorporação de novos conhecimentos.

 

“Tais abordagens ativas de ensino são reconhecidas pela promoção da autonomia do estudante, a capacidade de pesquisar, compreender, argumentar, questionar e refletir. Prevê em seus tempos, o respeito ao ritmo de aprendizagem próprio de cada aluno, permite a otimização do tempo na escola, proporciona a aprendizagem em outros espaços, além da escola, possibilita a personalização do ensino e o desenvolvimento das habilidades socioemocionais. O trabalho em equipes tem permitido, mesmo durante este período de isolamento, que os alunos continuem a desenvolver suas habilidades socioemocionais. Pode ser utilizada por qualquer instituição de ensino que já trabalhe com métodos ativos e/ou por professores que conheçam metodologias ativas de aprendizagem”, destaca Arlenes.

Fonte: Universidade Estadual de Tocantins