Projeto da Ufal vai contribuir para rastreamento de desastres ambientais

Pesquisadores terão trabalho financiado em edital da Capes e vão utilizar tecnologia de robôs para monitorar contaminação nos mares

0
66

Entre centenas de inscritos no país para o Programa Entre Mares, da Capes, a Universidade Federal de Alagoas foi contemplada a partir de um projeto que envolve quatro professores dos institutos de Computação (IC) e Ciências Atmosféricas (Icat). O trabalho será executado numa parceria entre a Ufal e a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), em colaboração internacional com o Laboratório de Análise e Arquitetura de Sistemas (LAAS), na França.

A iniciativa do edital surgiu diante do derramamento de óleo no litoral brasileiro, em 2019. A necessidade de ações em resposta ao desastre ambiental foi apresentada pelo Plano Nacional de Contingência (PNC) por meio do Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), que é formado por Marinha do Brasil (MB), Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais e Renováveis (Ibama).

Os pesquisadores da Ufal vão participar de missões de campo de coletas de dados em áreas afetadas pelo óleo no estado de Alagoas utilizando a cooperação entre robôs aéreos e de superfície aquática para busca e rastreamento de processos de dispersão de óleo em ambiente marítimo.

“Ter sido aprovado neste edital mostra que a pesquisa que estamos propondo no IC está alinhada com as necessidades regionais, representa impacto de alto nível em nossos programas de formação e promove integração regional e internacional da Ufal”, destacou o professor Heitor Savino, coordenador do projeto.

Com o financiamento de cerca de R$ 81 mil, os pesquisadores poderão realizar coletas de dados físicos e químicos que auxiliam na obtenção de modelos que serão utilizados para determinar os cenários operacionais e modelos de simulação, como explica Heitor. Os recursos também vão ser destinados para aquisição de material de consumo, livros, manutenção, licenças de softwares de simulação e custeio de viagens para reuniões, visitas técnicas e eventos.

Sobre o projeto

O programa Entre Mares também viabilizou a pesquisa no Programa de Pós-graduação em Informática (PPGI) do Instituto de Computação da Ufal, dispondo de uma bolsa de mestrado. De acordo com o professor Heitor Savino, a pesquisa realizada em parceria com a UFCG e o laboratório francês vai permitir estudos e modelos de simulação da aplicação de veículos aéreos e de superfície aquática.

Depois do desastre ambiental no Brasil, em 2019, expôs as fragilidades dos sistemas monitoramento e análise de riscos. O professor Heitor explica que para avaliar a saúde dos mares com mais eficiência é preciso uma grande quantidade de dados com dispersão espaço-temporal confiáveis.

É neste campo que o projeto dos professores da Ufal está focado: utilizar veículos autônomos, nesse caso robôs, para coletar os dados com mais eficiência.

“A aplicação de sistemas de veículos autônomos confiáveis permite adicionar maior mobilidade aos nós sensores encarregados de coletar dados, permitindo, por exemplo, a localização da fonte de substâncias liberadas e sua análise de dispersão num meio fluídico”, esclarece.

A pesquisa vai colaborar com soluções e melhorias para o grau de autonomia oferecido aos robôs no processo de mapeamento para rastrear a origem de qualquer espécie da chamada “pluma química”, ou seja, a fonte da contaminação nos mares. O projeto começa neste mês de fevereiro e terá duração de dois anos.

Fonte: Universidade Federal de Alagoas