Pesquisa da UFMG abre portas para diagnóstico precoce do câncer de fígado

0
47

Estudo desenvolvido por grupo liderado pela professora Maria de Fátima Leite, do Departamento de Fisiologia e Biofísica da UFMG, identificou uma molécula que aparece em diversos casos de câncer do fígado que pode servir como indicador de risco de desenvolvimento da doença, abrindo caminho para o seu diagnóstico precoce. “Ela parece ser um marcado universal”, afirma a professora, que coordena o Liver Center, em entrevista à TV UFMG.

A presença da molécula não necessariamente confirma o diagnóstico de câncer, mas, quando identificada, pode ajudar na prevenção, fazendo que o paciente elimine hábitos que aumentem o seu risco, como o consumo excessivo de álcool e de alimentos gordurosos.

Equipe: Luiz Cisi (produção); Frederico Gandra (reportagem); Antônio Soares (imagens); Marcia Botelho (edição de imagens); Jessika Viveiros (edição de conteúdo)

Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais