Pesquisadores da UFT desenvolvem teste para diagnosticar Zika Vírus

0
34

Por Geórgya Laranjeira Corrêa (Governo do Tocantins)

| Edição: Samuel Lima (Sucom/UFT)

| Publicado: Quinta, 19 de Setembro de 2019, 11h00 

| Última atualização em Sexta, 20 de Setembro de 2019, 18h18

Pesquisadores da UFT trabalharam no desenvolvimento do kit de detecção do vírus Zika (Foto: Antonio Gonçalves / Governo do Tocantins)Pesquisadores da UFT trabalharam no desenvolvimento do kit de detecção do vírus Zika (Foto: Antonio Gonçalves / Governo do Tocantins)

Um projeto desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal do Tocantins possibilitará o desenvolvimento de kits de diagnóstico para detecção do Zika vírus via análise do DNA, com um valor reduzido se comparado aos valores atuais do exame para detecção da doença. A pesquisa faz parte do Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS) do Ministério da Saúde, CNPq por meio do governo do Estado do Tocantins através da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins.

O objetivo é que o serviço seja ofertado pelo Sistema Único de Saúde a médio prazo e abra portas também para detecção de outras doenças como dengue e chikungunya com economia tanto para laboratórios públicos como privado. A pesquisa intitulada “Validação e confiabilidade de kits de diagnósticos para detecção do Zika Vírus” está sendo coordenada pelo doutor em Biotecnologia Vegetal e professor do curso de Medicina da Universidade Federal do Tocantins, Horllys Gomes Barreto.

O presidente da Fapt, Márcio Silveira, ressalta o papel da Fundação no desenvolvimento de projetos estratégicos no âmbito da ciência e da tecnologia, visando beneficiar os tocantinenses, sobretudo na área da saúde. Ele enfatiza a importância da parceria com o Ministério da Saúde e o CNPq, que possibilitaram a elaboração de editais como do PPSUS que aprovou diversos projetos de pesquisadores do Estado.

Desenvolvimento da pesquisa

“O projeto de pesquisa do Zika Vírus permitirá trabalhar os três pilares da universidade: ensino, pesquisa e extensão, o que possibilitará a geração de dados científicos de grande relevância social, por meio do desenvolvimento e transferência de tecnologias” destaca o pesquisador Barreto. O trabalho com o apoio do PPSUS inicia em setembro com expectativa para ser concluído em até dois anos com a validação do artigo científico.

Dois alunos também participam do projeto, um do 8º período do curso de Medicina da UFT, Evandro do Nascimento Barros, bolsista de Iniciação Científica pelo CNPq e o outro é engenheiro de Bioprocessos e Biotecnologia, mestrando do programa Ciências da Saúde (também da UFT). “A participação no projeto de pesquisa é muito importante para a minha formação em Medicina. Um projeto como esse na graduação mostra que a Universidade leva a pesquisa a sério e favorece uma iniciação científica de qualidade, explica o graduando Barros.

Segundo o mestrando Matheus Martins o mais interessante na pesquisa é a aplicabilidade. “Estamos desenvolvendo uma pesquisa que vai gerar não somente resultados com uma base científica que abre portas para outros estudos, mas um diagnóstico de baixo custo ao SUS, tanto para exames de Zika Vírus como detecção de outras doenças como dengue e chikungunya”, ressaltou.

O que é o (PPSUS)

O PPSUS é o Programa Pesquisa para o SUS. Uma ação do governo federal, executado nos Estados. É um meio para solucionar problemas de saúde local e a redução das desigualdades regionais no contexto da inovação e do desenvolvimento científico e tecnológico em saúde. No Tocantins é gerenciado pela Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapt), coordenado pelo Ministério da Saúde, e tem como gerenciador o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Já as Secretarias de Estado da Saúde participam das etapas operacionais e das linhas prioritárias definidas em oficinas até os Seminários de acompanhamento e Avaliação dos resultados.

Acesse o texto original aqui.

Fonte: Universidade Federal do Tocantins