UESPI contribui para a produção e desenvolvimento agrícola

Pesquisas da UESPI contribuem para a produção e desenvolvimento agrícola da região litorânea. Um dos trabalhos desenvolvidos é com as colmeias de abelhas para comercialização.

0
23

Alunos e professores do curso de Agronomia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Prof. Alexandre Alves de Oliveira – Parnaíba, realizaram três pesquisas envolvendo a produção e desenvolvimento agrícola do município litorâneo e regiões vizinhas.

Orientados pelos professores Márcio Alves Silva e Gerane Bezerra Silva, os projetos fazem parte do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), em parceria com profissionais do Laboratório de Entomologia – LABENTO da universidade e agricultores da região.

Professores orientadores das pesquisas

Um dos trabalhos desenvolvidos refere-se ao lugar onde são criadas colmeias de abelhas para comercialização do produto no município de Esperantina, localizado na micro região do baixo Parnaíba. O projeto da aluna Bruna Penha destaca que os apiários que apresentaram maior sobrevivência ao tempo, eles têm um maior grau de abelhas africanizadas.

“Essa informação pode ser usada para identificar as melhores colmeias para a produção e substituição de abelhas rainhas. A partir desse estudo, pode-se avaliar as colmeias que apresentaram um maior grau de rusticidade, resistência as pragas e patógenos, bem como adaptação ao clima. A pesquisa é destinada à apicultores e melhoristas (criadores que se dedicam ao melhoramento genético)”, disse Bruna Penha.

O projeto ganhou notoriedade no II Congresso de Entomologia do Piauí

As outras duas pesquisas são voltados para a produção de acerola em Parnaíba, sendo elas: “Fatores de mortalidade pupal de moscas frugívoros em pomar orgânico de acerola” e “Dinâmica temporal de parasitoides de moscas-das-frutas em pomar orgânico de acerola” dos discentes Allysson Vitor da Silva e Tamiris dos Santos.

O projeto do Alysson foi criado para registrar aspectos ecológicos de moscas-das-frutas e seus parasitoides de acerola no vale do Rio Parnaíba. Ele disse que estudos como estes são importantes para correlacionar a interação entre hospedeiro, ambiente e os organismos alvos. Além disso, a pesquisa coleta informações para garantir a melhor qualidade dos produtos e menor custo de produção. “Ao final do estudo teremos dados que possam indicar qual o período do ano ocorre a maior taxa de infestação, além de subsidiar as estratégias de manejo”, explicou o estudante.

Destinada aos produtores de acerola orgânica do Piauí, o projeto da aluna Tamiris está relacionada ao ampliamento do nível de informação das espécies de parasitoides e mosca-das-frutas no Piauí. “A execução de um programa fitossanitário de manejo regional de moscas-das-frutas possibilitará a consolidação da cadeia produtiva, ampliação da área orgânica e diversificação das espécies frutíferas cultivadas. Além disso, a manutenção e ampliação das áreas de exportação e atração de investimentos visa mesclar e combinar empreendimentos de pequeno, médio e grande porte”, disse a aluna.

Pesquisas apontam os procedimentos para o desenvolvimento da produção de acerola

Fonte: Universidade Estadual do Piauí