Estudos da UFMG comprovam versatilidade do nióbio

Pele sintética, clareador dental, baterias e supercapacitadores são aplicações em teste

0
496
Frasco à esquerda contém o minério de nióbio; à direita, o fármaco usado no tratamento de câncer de pele
Foca Lisboa / UFMG

Elemento químico utilizado para dar resistência e leveza a ligas metálicas e a aços especiais, o nióbio é a base de composições farmacêuticas, desenvolvidas na UFMG, para tratamento de alguns tipos de câncer, para formulação líquida que funciona como pele sintética e para a produção de um gel clareador dental. O material é também usado pelo mesmo grupo de pesquisa, liderado pelos professores Luiz Carlos Oliveira e Rodrigo Lassarote Lavall, do Departamento de Química, na composição de baterias e supercapacitadores para gerar energia renovável.

“O nióbio é tão versátil e tem tantas aplicações que o comparo ao fictício vibranium, do filme Os vingadores”, diz o professor Luiz Carlos. As similaridades entre as duas substâncias incluem utilizações biológicas, em materiais especiais e em energia. Algumas dessas propriedades ainda não exploradas são objetos de patente em processo de depósito e estão resumidas em artigo que Oliveira vai submeter a uma revista da área de energia, com o título Nióbio, o vibranium da vida real.

As aplicações do nióbio são destacadas na principal reportagem da edição 2.067 do Boletim UFMG, que circula nesta semana em versão nióbioon-line.

Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais