Nova espécie de anfíbio é descoberta por pesquisadores da UERJ

Luetkenotyphlus fredi foi encontrada em área preservada no sul do Espírito Santo. Nome é uma homenagem a professor da UERJ referência em estudos sobre anfíbios e répteis no país

0
26

Pesquisadores da UERJ, sob a coordenação da doutora Jane C. F. de Oliveira, descobriram uma nova espécie de anfíbio no sul do Espírito Santo. Ela foi batizada com o nome de Luetkenotyphlus fredi, em homenagem ao professor e biólogo da Universidade, Carlos Frederico Duarte da Rocha (Fred Rocha). A espécie foi encontrada nos remanescentes de Mata Atlântica do Monumento Natural Estadual Serra das Torres (Monast), que abrange os municípios de Atílio Vivácqua, Mimoso do Sul e Muqui.

Graduado em Ciências Biológicas pela UERJ e coordenador do Laboratório de Ecologia de Vertebrados do Instituto de Biologia Roberto Alcântara Gomes (IBRAG), Fred Rocha recebeu a homenagem em reconhecimento a sua contribuição aos estudos de ecologia de anfíbios e répteis no Brasil e no mundo. “Receber como homenagem o nome científico de uma das espécies novas descobertas nesse nosso maravilhoso planeta é uma distinção emocionante e de enorme valor, algo para sempre. Por isso, agradeço muito a esses colegas cientistas que me homenagearam”. O processo de nomear uma espécie é conhecido como etimologia e devem constar em um artigo científico as razões pela escolha do nome. Ser agraciado com o nome de uma espécie é um dos maiores reconhecimentos que um cientista pode ter. “As razões com que eles justificaram a homenagem só me mostraram o quanto tem valido a minha carreira”, afirmou o professor.

A descoberta da espécie foi feita em 2018, mas só foi divulgada em julho de 2019. Luetkenotyphlus fredi é uma das mais de 50 espécies de cecília – popularmente conhecida como cobra-cega – já catalogadas. Até então, somente uma espécie do gênero Luetkenotyphlus havia sido registrada, há 168 anos.

Os primeiros registros da espécie foram feitos em inventários de anfíbios e répteis na Mata do Ouvidor, localizada em Itapemirim, também no sul capixaba. Mais tarde, foi encontrada em nova expedição, desta vez na Serra das Torres. Ambos os registros iniciais foram feitos pelo mesmo grupo de pesquisadores, que trabalharam em conjunto com os alunos do Centro Universitário São Camilo, de Cachoeiro de Itapemirim.

Até o momento, a Luetkenotyphlus fredi é considerada natural do estado do Espírito Santo, já que não foi encontrada em nenhuma outra parte do mundo. As cecílias, do latim caecus (cego), têm olhos pequenos e envoltos por uma camada de pele, daí serem conhecidas como cobras-cegas. São anfíbios que costumam viver enterrados em solos úmidos de florestas ou áreas abertas naturais. Esta é a cecília número 2013 do mundo.

Fonte: Universidade do Estado do Rio de Janeiro