Pesquisador da UEA publica artigo em revista internacional

A pesquisa trata dos impactos da síntese e emissão dos compostos orgânicos voláteis liberados por algumas espécies de plantas Amazônicas

0
238

O pesquisador do grupo de Química Aplicada à Tecnologia da Escola Superior de Tecnologia da Universidade do Estado do Amazonas (EST/UEA), Vinícius Fernandes de Souza, teve o artigo aprovado na revista internacional ¿Trends in Plant Science”. A publicação destaca processos biogeoquímicos na concentração do CO2 e controle de taxas de emissão de isopreno em árvores.

Intitulado “Alternative carbon sources for isoprene emission”, o artigo é parte da tese de doutorado e foi desenvolvido em parceria com o Programa de Pós-graduação em Ciências de Florestas Tropicais (PPG-CFT) do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (MCTIC/INPA), orientado pelo coordenador do Laboratório de Fisiologia e Bioquímica Vegetal (LBFV) da Coordenação de Dinâmica Ambiental (CODAM) do INPA, Dr. José Francisco de Carvalho Gonçalves. Além de contar com o apoio do grupo de pesquisa de Química Aplicada à Tecnologia da UEA, liderado pelo Doutor Sergio Duvoisin Junior.

A pesquisa trata do efeito integrado dos impactos de diferentes fatores ambientais (radiação, temperatura e CO2) sobre os principais mecanismos de síntese e emissão dos compostos orgânicos voláteis (COVs) liberados por algumas espécies de plantas encontradas na região Amazônica, e assim comparar os resultados com as análises realizadas com as espécies mais representativas de regiões temperadas.

Para o pesquisador, o trabalho é um grande avanço para o meio acadêmico e científico que permite além de um amplo conhecimento na área, abrir várias possibilidades para novas pesquisas. “Hoje o laboratório da UEA está com uma plataforma científica e de equipamentos bastante robusta, o que nos oferece a total possibilidade de realizar as pesquisas associadas à fisiologia de plantas, especificamente a emissão de compostos orgânicos voláteis”, explicou.

Vinícius destacou ainda que esse tipo de linha de pesquisa é um passo a mais para alunos e professores da universidade na área de Química e Biologia. “A partir dessa divulgação queremos atrair estudantes interessados para que possam trabalhar no mestrado, doutorado, até mesmo alunos de graduação que possam se unir ao grupo do laboratório e iniciar pesquisas nessa área, como também gerar resultado e produtos que possam ser divulgados para a sociedade em geral, uma vez que as mudanças climáticas podem ter consequências para qualquer pessoa do mundo”.

Fonte: Universidade do Estado do Amazonas