Pesquisa sobre literatura brasileira contemporânea é desenvolvida no IFRO

0
16

Analisar a constituição do narrador na produção romanesca publicada no Brasil a partir do início do século XXI é o objetivo do projeto de pesquisa intitulado “Literatura brasileira contemporânea: a configuração do sujeito-narrativo”, desenvolvido no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Cacoal.

Iniciada em 2018, a pesquisa desenvolvida pela Professora Jeciane de Paula Oliveira, juntamente com sete discentes colaboradores, pretende constituir um corpus literário com obras escritas em primeira pessoa narradas por um único narrador ou por múltiplos narradores. Realizado o levantamento e a fixação do corpus literário, os pesquisadores vêm efetuando leituras do material, com o intuito de compreender as principais estratégias discursivas concebidas pela figura do narrador para configurar a si mesmo no plano ficcional. “A cada quinze dias nós nos reunimos para discutirmos a obra que fizemos leitura. Para mim a parte mais importante é que além de discutirmos as obras literárias contemporâneas brasileiras, que tem uma carga cultural muito importante, discutimos também assuntos polêmicos do dia a dia, o que pra nós é muito rico, o saber lidar, o entender certas situações”, contou a discente colaboradora Karoliny Fim da Silva, aluna do 2º Ano do curso Técnico em Agropecuária.

Com os resultados obtidos, o projeto espera confirmar a hipótese interpretativa de que a literatura brasileira contemporânea favorece a multiplicidade de pontos de vistas em um mesmo romance, permitindo a reflexão sobre a concepção de verdade e a instauração da performance do sujeito-narrativo. “O mais interessante é que, a partir dessa pesquisa, eu percebi que nós valorizamos muito as obras antigas da literatura brasileira, e na maioria das vezes a gente nem sabe de que modo está o cenário da produção literária atual, quais são os assuntos discutidos, e é bom que passamos a conhecer e valorizar o que já tínhamos na nossa literatura, mas também o que vai surgindo”, elucidou Marcos Vinicios Lourenço Amorim, que é bolsista do projeto e discente do 2º Ano do curso Técnico em Agropecuária.

“O projeto permitiu que refletíssemos sobre a condição humana representada nas obras literárias. Segundo o crítico literário Antonio Candido, a literatura desenvolve no indivíduo a quota de humanidade na medida em que o torna mais compreensivo e aberto para a natureza, a sociedade, o semelhante. Nessa dinâmica, sendo o indivíduo humanizado, será apto ao desenvolvimento da empatia, a ser capaz de colocar-se no lugar do outro e, por isso, a ser mais tolerante em relação às diferenças sociais e ideológicas. Tornar-se um indivíduo mais tolerante é o elemento essencial na constituição de uma sociedade mais justa, igualitária e pacífica, onde todos possam viver em harmonia. A literatura impulsiona o alargamento da reflexão sobre si e, por conseguinte, provoca mudanças nesse indivíduo. A alteração de comportamento desse ‘eu’ é o início de uma mudança de toda a sociedade”, explicou a Docente Jeciane de Paula Oliveira.

Na dinâmica do projeto, cada discente teve a responsabilidade de conduzir a discussão de uma obra literária e, após a discussão, escrever um miniartigo científico, sob a orientação da Professora Jeciane e de outros docentes colaboradores. Estão envolvidos nessa etapa do projeto os professores Gilson Divino Araújo da Silva, disciplina de História, Laelba Silva Batista, disciplina de Sociologia e Marcilei Serafim Germano, disciplina de Filosofia, com o intuito de fundamentar discussões levantadas nos textos. Essa etapa da pesquisa se encerrou na semana passada e, a partir das produções dos artigos, os discentes apresentarão os resultados da pesquisa no “I Colóquio de literatura e humanidades: entre o clássico e o contemporâneo”.


Projeto de pesquisa intitulado “Literatura brasileira contemporânea: a configuração do sujeito-narrativo”

Fonte: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia