Aluna do ITA é premiada por estudo sobre pagamentos por serviços ecossistêmicos

0
171

Fonte:Divisão de Engenharia Civil. | Edição:Divisão de Comunicação Social.

No dia 25 de abril, Bruna Fatiche Pavani, mestre e doutora pelo programa de pós-graduação em Engenharia de Infraestrutura Aeronáutica do ITA, recebeu o prêmio de melhor trabalho em painel do I Fórum de Governança Ambiental da Macrometrópole Paulista, realizado no Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (IEE-USP).

Integrante do Núcleo de Estudos em Infraestrutura e Ambiente (NINFA), Bruna é orientada pelo Prof. Dr. Wilson Cabral de Sousa Júnior desde 2011, quando iniciou suas pesquisas no ITA no âmbito de modelagem ecológica-econômica. O prêmio é relativo ao trabalho “Pagamentos por Serviços Ecossistêmicos: reflorestamento e abastecimento hídrico pela Área de Proteção Ambiental Bacia do Rio Paraíba do Sul”, apresentado no painel “Novos territórios metropolitanos: fronteiras de expansão urbana e ruralidades na Macrometrópole Paulista”, sob coordenação da Prof. Luciana Travassos (UFABC), Prof. Vanessa Empinotti (UFABC) e Prof. Tatiana Rotondaro (FEA-USP) (mais informações em: https://macroambforum.com.br/(link is external))

O trabalho apresentado é parte integrante de sua tese de doutorado “Pagamentos por Serviços Ecossistêmicos: proteção de recursos hídricos por Unidades de Conservação ambiental no Brasil”, defendida em dezembro de 2018 no ITA (disponível em: http://www.bdita.bibl.ita.br/tesesdigitais/lista_resumo.php?num_tese=75499(link is external)). Esta tese sugere uma proposta metodológica para valorar economicamente os benefícios gerados pela proteção dos recursos hídricos. Estabelece relação entre o controle da erosão e os custos do tratamento de água para abastecimento público e geração de energia elétrica.

Para efetivação, a proposta metodológica é aplicada em diferentes cenários de uso do solo para oito Unidades de Conservação no Brasil. Os resultados auxiliam em estimar a efetividade da proteção dos recursos hídricos através da perda de solo evitada. Sugere-se que as possíveis economias em tratamento de água, disposição de lodo e dragagem são intrinsicamente ligadas à taxa de proteção ambiental. A contribuição monetária através dos Pagamentos por Serviços Ecossistêmicos (PSE) pode ajudar no orçamento das Unidades de Conservação, evidenciando a eficiência das áreas protegidas e da conservação da natureza no Brasil.

Com a premiação, Bruna Pavani também foi convidada a publicar seus resultados na edição especial da Revista Ambiente & Sociedade, sobre Urbanização, Planejamento e Mudanças Climáticas.

Fonte: Instituto Tecnológico de Aeronáutica