Alunos da Unipampa produzem primeiro aplicativo a receber registro no Inpi

0
56

Alunos da Universidade Federal do Pampa (Unipampa) desenvolveram o Sagee 2020 (Sistema de Avaliação da Gestão da Eficiência Energética), primeiro aplicativo computacional a receber registro de Software do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi). O sistema foi desenvolvido pelo Grupo de Pesquisa em Exploração Integrada de Recursos Energéticos (Eire), composto pelo professor José Wagner Maciel Kaehler e os alunos de graduação em Engenharia Elétrica Felipe Bedinotto Fava, Jefferson Pires da Rosa Junior, Rafaella Silveira Caravaca. O aplicativo deve ser disponibilizado gratuitamente.

O Sagee integra o conjunto de ações de extensão universitária estabelecidas para o Escritório Modelo em Processos e Tecnologias Eletro-Energéticas (Emprotecee). É uma atualização da plataforma computacional e dos demais aspectos que envolvem a eficiência energética, como a qualidade da energia e a implantação de geração distribuída com base em recursos energéticos renováveis. Segundo os integrantes do grupo, o aplicativo dá suporte metodológico estruturado ao processo de auto avaliação das empresas e instituições de como estas estão envolvidas com as ações estratégicas, táticas e operacionais da eficiência energéticas dos seus processos produtivos e/ou serviços energéticos de uso final.

Como funciona

O sistema inicia efetuando o cadastro da empresa em avaliação, bem como dos agentes (Gestores, Executivos, Técnicos e Consultores) que procederão ao processo de auto avaliação gerencial da eficiência energética, da qualidade da energia e do potencial de geração distribuída.

O segundo módulo compreende o processo de avaliação gerencial executado através de questionamentos envolvendo os dez quesitos básicos da gestão da qualidade: Liderança, Informações, Planejamento do Negócio, Recursos Humanos, Gestão da Produção, Fornecedores e Insumos, Usos Finais da Energia, Resíduos dos Usos da Energia, Qualidade da Energia e Geração Descentralizada. Este segundo módulo posiciona a gestão da empresa num quadro de performance energética ideal, sendo assinalado à posição em que ela se encontra.

Subsequentemente, outro módulo é aberto constando o registro de proposições de ações para implementar o posicionamento da empresa quanto a eficiência, eficácia e efetividade no uso da energia, da qualidade do produto e do serviço energético e da potencialidade de exploração dos recursos energéticos renováveis descentralizados.

Muitas das ações que irão compor Plano de Melhorias requererão informações técnicas e econômicas das Tecnologias de Alta Eficiência Energética (Taees). Assim, é constituído um quarto módulo do Sagee, prospectando técnica e economicamente as tecnologias empregadas, bem como aquelas com potência de eficiência energética passíveis de serem implantadas tanto nos processos produtivos (Secagem, Transporte, Armazenagem, Usinagem, Pintura, etc.) como nos serviços energéticos de uso final (Iluminação, Força Motriz, Condicionamento de Ambientes, Produção de Água Quente Sanitária, etc.). Neste módulo são avaliados do ponto de vista técnico (Demanda Evitada e Energia Economizada) e econômico (Valor Presente Líquido, Tempo Atualizado de Retorno, Taxa Interna de Retorno e outros) as vantagens da adoção das medidas de eficiência energética com qualidade e da exploração dos recursos energéticos renováveis descentralizados.

Fonte: Universidade Federal do Pampa