Pesquisa da UFT analisa a presença do cotidiano amazônico em radionovelas

0
25
Por Gabriela Melo (PPGCom) | Revisão: Samuel Lima | Publicado: Segunda, 24 de Junho de 2019, 09h30 | Última atualização em Segunda, 24 de Junho de 2019, 09h13

José Nery, Décio Caldeira e Artemisa Azevedo (e p/ d) durante gravação de peça de radioteatro, nos estúdios da Rádio Nacional da Amazônia década, 1980 (Foto Acervo/Pesquisador)José Nery, Décio Caldeira e Artemisa Azevedo (e p/ d) durante gravação de peça de radioteatro, nos estúdios da Rádio Nacional da Amazônia década, 1980 (Foto Acervo/Pesquisador)

De ouvinte de rádio a pós-graduação, as memórias do mestrando Cláudio Paixão foram sua principal inspiração para pesquisa “Radionovelas: o cotidiano da população amazônica nas produções da Rádio Nacional da Amazônia”, que ele está desenvolvendo na Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Claudio Paixão é mestrando pela UFT (Foto: Lia Mara / Arquivo Pessoal)Claudio Paixão é mestrando pela UFT (Foto: Lia Mara / Arquivo Pessoal)

“Cresci ouvindo a programação da Rádio Nacional da Amazônia, especialmente o infanto-juvenil Encontro com Tia Leninha, que era cheio de histórias e musicas, e as radionovelas. E tudo isso ficou guardado na minha memória. Na graduação o meu interesse pela memória da rádio começou a aparecer e eu acabei descobrindo que não existem registros sistematizados dessas produções, então o objetivo do meu trabalho é resgatar esse material e mostrar como essas produções estão ligadas com a população amazônica”, ressaltou.

Para o desenvolvimento da pesquisa, Cláudio Paixão considera que a emissora criada em 1977 teve ampla penetração no norte e nordeste do país, alcançando elevada audiência no estado do Tocantins, onde, por exemplo, dois municípios, Dueré e Cristalândia venceram um dos maiores concurso da emissora, o Cidade contra Cidade, em 1988 e 1989, respectivamente. Vencia o concurso o município que mais enviasse carta para competição. Para se ter uma ideia, em 1988  Dueré  enviou quase 70 mil cartas, de um total de 200 mil.

Com forte ligação com o tema, além de desenvolver a pesquisa, o mestrando quinzenalmente participa do quadro Saudade Nacional veiculado pela Rádio Nacional da Amazônia dentro do programa Tarde Nacional. No quadro, ele divide com os ouvintes suas descobertas em torno da história da emissora e gravações do seu acervo, que já vem sendo coletadas desde 2007.

Pelo viés dos estudos culturais, a pesquisa procura mostrar como as radionovelas são transformadas em artefatos culturais, à medida que ajudam a difundir elementos culturais do cotidiano da população amazônica. Por outro lado, não deixa de mostrar o tensionamento entre a realidade das comunidades locais e a proposta da programação da emissora, que foi criada com o objetivo de difundir os ideais do governo militar.

Fonte: Universidade Federal do Tocantins