Unioeste aplica conhecimento em indústrias da região

0
220
O Pró-Reitor de Pesquisa e Pos Graduação, Reginaldo Ferreira Santos e o Diretor de Pesquisa, Edson da Silva, comemoram resultados positivos na área industrial

A Universidade Estadual do Oeste (Unioeste) garantiu mais uma posição de destaque entre as melhores  do Mundo, desta vez no quesito rendimento industrial. Isto significa  que a Universidade tem aumentado significativamente a transferência de conhecimento científico para indústrias. Esse avanço permite que profissionais altamente qualificados, tanto docentes doutores como acadêmicos de Doutorado e Mestrado, trabalhem em Pesquisa e Desenvolvimento ou Inovação (P&DI), transferindo ciência para o setor produtivo.

O avanço está no  recente ranking divulgado pela revista inglesa Times Higher Education (THE), publicação de prestígio internacional. No resultado por área do ranking, a indústria superou a colocação geral da Unioeste, ficando em 83, enquanto que o global, foi a posição 101, êxito superior inclusive ao que tange a influencia da pesquisa em citações científicas. O ranking avaliou ainda  Ensino (o ambiente de aprendizagem); Pesquisa (volume, renda e reputação) e Perspectiva internacional (pessoal, estudantes e pesquisa).

Um dos dados relevantes da Pró-Reitoria, é a Unioeste ter sido selecionada entre as instituições que fazem parte do Programa Doutorado Acadêmico Industrial, do CNPq (veja texto anexo). Esse programa está possibilitando que 10 acadêmicos de Doutorado vinculados a   quatro programas de pós-graduação trabalhem em projetos voltados para indústria.

Os pesquisadores recebem bolsas de pesquisa no valor de R$ 2.394,00 mensais por até 48 meses e mais um valor total no período de R$ 18.912,00 que é de contrapartida da empresa parceira para ser aplicado diretamente em necessidades do projeto de pesquisa. Assim os alunos/pesquisadores da Universidade podem dedicarem-se á pesquisa aplicada, que visa transferir inovação tecnológica para o setor industrial.

O DAI, na Unioeste, credenciou os programas de Pós-Graduaçao, Engenharia Química e Engenharia de Pesca, no Campus de Toledo,  Engenharia Agrícola e  Engenharia de Energia na Agricultura, ambos no Campus de Cascavel.

Segundo pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduaçao, Professor Doutor Reginaldo Ferreira dos Santos, a Instituição supera-se a cada dia, com mais  pesquisas de transferência de tecnologia industrial, que trazem benefício direto ao desenvolvimento da região e, consequentemente, do País. “Isso demonstra uma mudança no rumo da Universidade, que passa a integrar políticas de pesquisa de grandes países”.

O pró-reitor acrescenta que o Oeste do Paraná, forte no setor  do agronegócio, é um excelente campo de pesquisas aplicadas,  “ a Universidade cumpre seu papel social e devolve para a sociedade seu bem mais valioso, o conhecimento, e assim incentiva  o desenvolvimento econômico, como ocorre em economias que possuem tradição em inovação e tecnologias de valor agregado”.

Um exemplo disso, cita, são os projetos na área de separação de CO2 do biogás e a purificação do biometano, como uma fonte de energia processada a partir de biodigestores.

Segundo ele, projetos de pesquisa aplicada são importantes  ferramentas para a sustentabilidade e as políticas de preservação ambiental . “Em países desenvolvidos existe uma migração do pesquisador para atuar na empresa, o que ainda não é nossa tradição, mas caminhamos para esta mudança”

Já o  diretor de Pesquisa a Instituiçao,  Professor Doutor Edson da Silva, que trabalhou na elaboração da proposta, disse que estar no DAI é uma conquista e tanto, uma vez que esse grande projeto fomenta a formação de novos recursos para pesquisa em  consonância com a Estratégia Nacional de Ciência.

Silva informa que a Unioste tem aumentado o  número de patentes e transferências de tecnologia, por meio do seu Núcleo de Inovações Tecnológicas.  Entretanto, a patente somente pode ser considerada Inovação quando for incorporada no mercado, em benefício direto ou indireto da sociedade, seja por meio da transferência ou do licenciamento de tecnologia. “Temos desempenhos bem acima da média nacional”, acrescenta.

Desempenho

Ferreira dos Santos comemora a notícia e diz que esse resultado coaduna com novas políticas de pesquisa, propostas tanto pelo Governo do Estado , como pelo Governo Federal,” É uma linha de atuação que permite a atuação da Universidade no setor industrial, o que pode lá na frente possibilitar a criação de novas tecnologias aplicadas ao setores da indústria.

Segundo o professor, outro fator que é positivo, nesta esfera, é uma mudança de mentalidade sobre a transferência de tecnologia, bem como aumentar o numero de patentes de experimentos da própria empresa, que passa a ter reconhecimento tanto na área científica, como no setor em que atua.

Atualmente a Instituição tem parcerias com grandes empresas e indústria, como a Cooperativa Industrial de Cascavel (Coopavel), em Cascavel, e a Lar, em Medianeira, entre as maiores do país.

O que é o Projeto DAI

O que é o DAI é um Programa DAI busca fortalecer a pesquisa, o empreendedorismo e a inovação nas ICTs, por meio do envolvimento de estudantes de doutorado em projetos de interesse do setor empresarial, mediante parceria com empresa, doravante chamada Empresa Parceira.

Dessa forma, o Programa DAI busca contribuir para o aumento da capacidade inovadora, da competitividade das empresas e do desenvolvimento científico e tecnológico no País, ao mesmo tempo em que pretende fortalecer os Sistemas Regionais de Inovação.

Nesse Programa, o bolsista desenvolverá sua tese como pesquisador junto à uma empresa. A empresa escolhida tem condições para realização de  atividades de pesquisa, desenvolvimento ou  inovação (PD&I) em instalações próprias ou em instalações de terceiros.

A duração das bolsas a serem concedidas pela presente Chamada será de até 48 meses. A Unioeste entra com os pesquisadores e as empresas dão uma contrapartida. O valor corresponde aos recursos empregados o pagamento da bolsa de doutorado, bem como de valores para custear a pesquisa.

A Unioeste pôde participar porque atende os critérios, ou seja, Programa de Pós Graduação (PPG) stricto sensu recomendado pela Capes, além de ter um um Núcleo de Inovação Tecnológica – NIT, formalmente constituído.

Texto e foto: Mara Vitorino.

Fonte: Universidade Estadual do Oeste do Paraná