IF Sudeste MG promove debates relacionados ao mundo LGBTQ+

O Campus Barbacena possui um coletivo que debate assuntos relacionados ao mundo LGBTQ+. O chamado “Coletivo Odara” foi criado em agosto de 2018 .

0
221

 

O Campus Barbacena possui um coletivo que debate assuntos relacionados ao mundo LGBTQ+. O chamado “Coletivo Odara” foi criado em agosto de 2018 e tem o intuito de dar voz aos estudantes do campus, a sociedade barbacenense e a população das cidades próximas. O grupo foi fundado por estudantes do curso de Ciências Biológicas, por meio da Diretoria de Extensão e com o apoio da professora Jaciara Christiano.

O lema do Coletivo é “todxs são bem vindxs”. Segundo uma das organizadoras do grupo, Ana Luisa Pedrosa, formada em Ciências Biológicas pelo Campus Barbacena, a ideia principal do coletivo é dar voz e apoio para a comunidade LGBTQ+ da região. “Odara significa paz e tranquilidade, e remete a características positivas, desmitificando os atributos errôneos que tantos gays, lésbicas, bixessuais, travestis e transexuais sofrem na sociedade brasileira.”

Os encontros são quinzenais, geralmente nas terças ou quartas-feiras e o público alvo são as pessoas da comunidade, estudantes do Campus ou não, independente do gênero e da sexualidade. São discutidos assuntos como LGBTQfobia, relatos pessoais dos participantes, trocas de experiências, divulgação de informações sobre o meio LGBTQIA+, incluindo temas sobre a saúde, direitos humanos e utilização de recursos audiovisuais.

“O maior benefício do coletivo é, sem dúvidas, o combate ao preconceito. Mais uma atitude, em meio à tantas que ocorrem no Brasil, em prol do sonho de vivermos em uma sociedade justa e igualitária. E, como é um projeto de extensão, possibilita o envolvimento da comunidade externa o que engrandece nossas rodas de discussão.” declara a professora Jaciara

A aluna do curso de Ciências Biológicas, Natália Oliveira Dias, é criadora do coletivo e para ela é fundamental que qualquer Instituto debata sobre esse assunto. Além disso, ela destaca que no cenário brasileiro atual percebe-se uma forte intolerância em diversos âmbitos da sociedade, seja ele no trabalho, em casa ou até mesmo onde se estuda.

“O Coletivo não é somente espaço para a comunidade LGBTQIA+, mas sim pessoas, sendo elas héteros, bi, homossexuais, trans, cis, não binários, assexuados, familiares e apoiadores, proporcionando um espaço de representatividade, discussão e trocas de experiências.”, finaliza Natália.

Para conhecer mais sobre o grupo, siga o coletivo no instagram: @coletivo_odara

Fique por dentro!

Atualmente o termo LGBT é o mais utilizado, representando: lésbicas, gay, bissexuais, travestis e transsexuais. O termo foi aprovado no Brasil em 2008 em uma conferência nacional para debater os direitos humanos e políticas públicas de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transsexuais. Já a letra Q da sigla significa Queer que engloba todas as orientações e identidades, sem se especificar em apenas uma delas.

Fonte: Instituto Federal de Educação, ciência e tecnologia do sudeste de Minas Gerais