Aluna da UFT estuda avanços nos julgamentos de assédio após ações na mídia

0
335
Por Gabriela Melo (PPGCom) | Revisão: Samuel Lima | Publicado: Terça, 14 de Mai de 2019, 08h01 | Última atualização em Terça, 14 de Mai de 2019, 16h35

Albertina Vieira de Melo é mestranda em Comunicação e Sociedade (Foto: Arquivo Pessoal)Albertina Vieira de Melo é mestranda em Comunicação e Sociedade (Foto: Arquivo Pessoal)

A pesquisa intitulada “Comunicação na Perspectiva de Gênero: Movimento #Metoo na Coluna de Gênero do The New York Times” da mestranda Albertina Vieira de Melo da Universidade Federal do Tocantins (UFT) busca verificar a importância da comunicação em uma perspectiva de gênero e analisar se houve algum avanço no julgamento dos crimes de assédio sexual após o #metoo.

“Torna-se cada vez mais necessário discutir a comunicação em uma perspectiva de gênero para garantir a maior representatividade da imagem das mulheres na sociedade, tendo em vista que são perceptíveis as tentativas de silenciamento dos discursos delas ao longo dos tempos”, destaca.

Segundo a pesquisadora, o objeto foi escolhido para o estudo no jornal The New York Times pelo seu reconhecimento mundial como meio de comunicação. No espaço são discutidos semanalmente assuntos de relevância para representatividade da mulher nos meios de comunicação, a busca de uma comunicação efetiva em uma perspectiva de gênero e também um canal para o público interagir com o jornal.

O #metoo é um movimento internacional contra o assédio e agressão social e a mestranda destaca a necessidade de abordar o gênero em diversos aspectos para que se possa construir uma sociedade mais justa.

“É natural a busca por liberdades e espaços igualitários em todas as camadas sociais. As mulheres cada vez mais têm ocupado espaços nos meios de comunicação, sejam oportunidades para uma representação mais diversificada ou para ocupar cargos de destaque na indústria da comunicação” ressalta.

Fonte: Universidade Federal do Tocantins