Pesquisa da UFPE indica como dengue afeta turismo no Brasil

0
213

O turismo é uma das atividades mais importantes para o funcionamento da economia de qualquer nação. Porém, algumas epidemias como a dengue, podem influenciar diretamente esse setor, aumentando ou diminuindo o fluxo de turistas. É o que conclui a pesquisa “A relação entre epidemia e turismo: a dengue influenciou a chegada de viajantes nos estados brasileiros?” realizada por Amanda Maria Valdevino da Silva, sob orientação do professor José Lamartine Soares Sobrinho, e defendida no Programa de Pós-Graduação em Gestão e Economia da Saúde da UFPE.

O estudo aponta que, durante o período de 2003 a 2016, a incidência de casos da doença influenciou de forma negativa o número de desembarques de turistas no Brasil. Tanto que, a cada aumento de um ponto percentual em incidência de casos de dengue, diminuiu em 3,7% o número de desembarques, principalmente nacionais. Segundo análise da mestra, o fato de os desembarques internacionais não terem sido afetados pela ocorrência da dengue durante o período que foi analisado se deve à falta de divulgação sobre a doença fora do país. “Isso enfatiza que a maioria dos viajantes não busca se informar corretamente sobre o local para onde vai viajar, não busca conselhos de saúde e, se busca, não recorre a fontes confiáveis”, avalia Amanda.

METODOLOGIA | A autora adotou o método quantitativo de pesquisa, com caráteraplicado, com o objetivo de gerar conhecimentos para a aplicação prática, e de natureza descritiva. Essa pesquisa pode ser classificada como ex-post-facto, ou seja, que tem como objetivo investigar as relações de causa e efeito de um fato que já aconteceu. A principal característica desse tipo de pesquisa é o fato de que os dados são coletados após o acontecimento dos eventos.

A amostra relativa ao turismo foi composta pelos desembarques no Brasil, reunidos por estados e anos, através de desembarques nacionais e internacionais. Em relação à amostra da saúde, foi composta pelas notificações de casos de dengue no Brasil, também reunidas por estados e anos. Para coleta de dados, foram pesquisados documentos de domínio público, disponibilizados em sites oficiais. Também foram utilizados trabalhos acadêmicos como base teórica.

Segundo Amanda, existem diversas outras variáveis que afetam a quantidade de desembarques no país, como renda, violência, escolaridade, condição social etc., além de outras doenças e, por isso, foi necessário ter muito cuidado ao analisar a correlação proposta. Nas dissertação, a autora destaca que o Brasil “é um país que recebe muitos turistas”, sendo esse um dos principais setores da economia e, que, portanto, o estudo traz um panorama sobre como a saúde pode acabar tendo influência no turismo, demonstrando que é necessária atenção para a relação entre as duas áreas.

Fonte: Universidade Federal de Pernambuco